10 vezes que marcas provocaram suas concorrentes

Data de publicação: 4 de fevereiro de 2019

Alfinetadas bem humoradas chamam atenção de consumidor que geralmente aguarda o revide.

MINIONS

“Briga! Briga! Briga!”  Ninguém torce de fato para uma pancadaria, mas o meme inspirado nos simpáticos Minions até poderia embalar alguns episódios envolvendo marcas concorrentes. De vez em quando empresas alfinetam suas colegas de mercado, deixando o consumidor na expectativa do que vai acontecer e, muitas vezes, torcendo para um “revide”.

Indireta ou bem diretamente, diversas empresas provocam suas contemporâneas. Nos Estados Unidos, a prática costuma ser mais aceita, mas o Brasil também tem alguns exemplos. Apesar de não ser algo novo, o poder das redes sociais pode tornar um simples emoji em nocaute e o silêncio em W.O.

Fato é que uma provocação bem-feita rende mídia espontânea. E ir além. Nesse ringue, além da marca “vencedora”, o consumidor assiste de camarote, participa da conversa e incentiva a troca de farpas. Sem perder o bom humor.

PROPMARK reuniu alguns exemplos. Pegue a pipoca.

1 – Super brinde

PEPSI

Essa semana as gigantes Pepsi e Coca-Cola (quase) protagonizaram um momento histórico. Em Atlanta, terra natal da Coca-Cola há mais de 120 anos, a Pepsi pegou carona no slogan #TogetherIsBeautiful e propôs união de fundadores para um brinde no Super Bowl 2019. Mas a Coca não respondeu.

2 – Vegas

apple

A Apple aproveitou a CES desse ano para provocar os rivais. Durante a feira de tecnologia, a marca veiculou um outdoor em Las Vegas dizendo “What happens on your iPhone, stays on your iPhone”, algo como “O que acontece no seu iPhone, fica no seu iPhone”, numa alusão ao dito popular “What happens in Vegas, stay in Vegas” (“O que acontece em Las Vegas, fica em Las Vegas”). Muitos entenderam como uma provocação aos rivais da tecnologia: o Facebook, acusado de vazamentos de dados, e o Google, dono do sistema Android.

3 – Carro Wars

RENAULT

Em 2015, a Renault aproveitou o lançamento do filme “Star Wars – The Force Awakes” e contra-atacou a Fiat, que usou a temática do longa para destacar o lançamento de sua pick-up Toro. Na ação para o Duster Oroch, a montadora francesa deu as boas vindas ao modelo usando “I am your father” (“Eu sou seu pai”), uma das frases mais emblemáticas da saga. A ação foi feita pela NeogamaBBH.

4 – Amarelo x Vermelho

Três anos antes de cutucar a Fiat, a Renault mexeu com as cores da Ferrari. Fornecedora dos motores da Red Bull Racing na Fórmula 1, equipe austríaca que venceu seu terceiro ano consecutivo, além de levar o alemão Sebastian Vettel ao terceiro título na categoria, a Renault provocou a mais tradicional escuderia da modalidade: a Ferrari. A montadora francesa veiculou anúncios com o título “Red is dead” (“Vermelho está morto”, em tradução livre), trazendo a frase “Renault derrota Ferrari na Fórmula 1”. As peças têm a cor amarela em ícones tradicionalmente vermelhos, como a cabine telefônica londrina, um batom, um caminhão de bombeiro e um vidro de ketchup. A criação é da parisiense Publicis Conseil.

5 – Guerra Infinita

Algumas tretas mercadológicas entraram no campo das lendas, como o duelo entre Burger King e McDonald’s. Uma das maiores alfinetadas do BK, que costuma provocar bastante a concorrente, foi no Halloween de 2017. Na campanha “Scary Clow Night”, os consumidores que passavam por uma loja BK fantasiados de palhaço comiam um sanduíche Whopper de graça. A ação global foi criada pela Lola Mullen Lowe.

6 – Fantasia

BOOO

Outro episódio da relação entre as gigantes de fast food foi o #TheScariestBK, no Halloween de 2016, quando o BK se fantasiou de McDonald’s para assustar os clientes. Criação da David de Miami.

7 – Cardápio

Mais recentemente, o Burger King de Estocolmo, na Suécia, renomeou seus lanches para “não Big Macs”. A ação da agência Ingo satiriza a concorrente pela perda da marca registrada “Big Mac” na Europa. Os itens foram batizados de “Tipo um Big Mac, mas realmente grande”, “Um tipo de Big Mac, só que mais suculento e saboroso”, “O hambúrguer que o Big Mac queria ser”, “Qualquer coisa menos um Big Mac” e “Uma espécie de Big Mac, mas grelhado no fogo, é claro”.

8 – Ruivo

De volta ao Brasil, a Nextel se envolveu em uma polêmica em 2018. Na campanha, o ator João Côrtes, ex-protagonista de comerciais da Vivo, provoca, além da própria operadora, as concorrentes Tim, Claro e Oi, com referências de seus comerciais. O filme foi apresentado em março pela Tribal Worldwide. O caso foi parar no Conar e o vídeo saiu do ar.

9 – Mon Bijou x este

Como esquecer do comercial que comparava os amaciantes Mon Bijou, da Bombril, e Comfort, da Unilever? No final da década de 80, a marca fez dois comerciais, um citando diretamente a concorrente, e o outro com o produto coberto. “Você também é bom, não fica chateado, só que andou reclamando e não vai aparecer mais na televisão”, diz Carlos Moreno, famoso garoto-propaganda da Bombril. Criação de Washington Olivetto e Nizan Guanaes.

10 – Entrevista para a Black Friday

No final de 2018, as Casas Bahia colocou alguns garotos-propaganda da concorrência em seu comercial para a Black Friday. Um teaser publicado no Facebook da marca mostra o ator Fabiano Augusto, que ficou famoso pelo bordão “Quer pagar quanto?”, escolhendo o novo rosto da empresa. Os “candidatos” incluiam personagens como a Lu, do Magazine Luiza, o Dollynho, o Batata, do Posto Ipiranga, e o Ronald Mcdonald.

Bônus: Conversa no corredor

Outra cutucada da Pepsi na Coca-cola pode ser vista em um comercial com David Beckham. O filme parodia o clássico “Mean” da Coca-Cola. A propaganda assinada pela McCann foi estrelada pelo jogador Joe Greene e fez tanto sucesso que ganhou versões adaptadas. No Brasil, o craque Zico protagonizou o anúncio.

Fonte: http://propmark.com.br


Veja Também

Newsletter

Receba novidades e promoções do nosso site.