Pesquisa mostra a confiança do comércio para o segundo semestre

Data de publicação: 17 de julho de 2014

Fecomércio PR registra que 50% dos empresários paranaenses esperam aumentar o faturamento
A Pesquisa de Opinião do Empresário do Comércio, realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) mostra que 50% dos comerciantes paranaenses esperam ter faturamento superior ao registrado no segundo semestre de 2013. O desempenho dos negócios nos próximos meses ainda é incerto para 27% dos entrevistados, enquanto 19% acreditam que a empresa passará por um momento desfavorável. Os outros 4% estão indiferentes e acham que não haverá alterações.
Traçando um comparativo entre comércio e serviços, verifica-se diferença entre o nível de otimismo dos dois setores: 57% dos empresários do setor de serviços esperam um faturamento maior no período, ante 46% dos comerciantes varejistas. A incerteza é maior no segmento de serviços, com 29% de respostas indefinidas, em comparação a 23% de indecisos entre os prestadores de serviços. O pessimismo também é mais acentuado no comércio, com 23%, ante 12% no setor de serviços.
O otimismo dos empresários paranaenses vem apresentando quedas desde 2009. O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, explica que a confiança do empresariado normalmente é menor no segundo semestre, mas a tendência é que melhore até o Natal, a melhor época para o comércio. “A situação econômica e política do país vem afetando as perspectivas dos empresários, que esperam por medidas mais efetivas do governo para reduzir os entraves à atividade empresarial. O ritmo mais fraco de crescimento das vendas no acumulado do ano demonstra que o varejo paranaense ainda não engrenou, o que têm influenciado negativamente a satisfação com as condições atuais e reflete nas expectativas para os próximos meses”, afirma.
O nível de empregos no comércio deve permanecer estável, com tendência à ampliação, já que 66% das empresas pretendem manter o quadro de funcionários no próximo semestre e 16% planejam aumentar o número de colaboradores. Apenas 13% reduzirá o quadro funcional e 5% ainda não sabe qual medida vai tomar até o final do ano.
Dentre os fatores que dificultam a atividade empresarial foram citados a alta carga tributária (20%), o aumento da inflação (15%) e o esgotamento da capacidade de compra do consumidor (13%). A falta de mão de obra qualificada também foi mencionada por 8% dos empresários como uma das dificuldades para os negócios.
A maioria dos entrevistados, 52%, planeja realizar novos investimentos. As principais áreas beneficiadas serão instalações (18%), equipamentos (17%), capacitação dos colaboradores (15%), propaganda (13%) e novas linhas de produtos (11%).
Dados regionais
A 26a edição da Pesquisa de Opinião da Fecomércio PR traz como novidade os dados regionais. Os comerciantes de Curitiba e Região Metropolitana são os mais otimistas do Estado, com 54% das respostas favoráveis, 23% indefinidas, 19% desfavoráveis e 4% indiferentes.
Na região de Londrina, 49% dos empresários têm perspectivas positivas quanto às vendas, 32% estão indecisos, 11% são desfavoráveis e 8% indiferentes. Em Maringá, 42% projetam os próximos meses sob um prisma favorável, 32% estão pessimistas e 26% não possuem opinião formada.
Em Ponta Grossa e municípios dos Campos Gerais o segundo semestre será favorável para 49% dos entrevistados, indefinido para 26%, desfavorável para 19% e indiferente para 6%. Já na região Oeste, 48% dos comerciantes estão confiantes, 30% estão hesitantes, 18% têm uma visão negativa e 4% são indiferentes.    
Metodologia
A pesquisa ouviu 320 empresários dos ramos de autopeças, calçados, concessionárias de veículos, farmácias, material de construção, móveis, decorações e utilidades domésticas, turismo e tecnologia da informação, entre outros, no período de 24 de junho a 11 de julho.


Texto enviado pela jornalista Karla Santin – Núcleo de Comunicação e Marketing – NCM – Fecomércio PR.

Veja Também

Newsletter

Receba novidades e promoções do nosso site.