Tendências na Sustentabilidade

Data de publicação: 12 de maio de 2014

Toda mudança nas corporações gera conflito e leva algum tempo para ser aceita. Com a sustentabilidade não foi diferente. Primeiro vieram os “ecochatos“ e “abrasadores de árvores” e finalmente surge em 1987 o conceito de sustentabilidade, nos discursos da ex-primeira ministra da Noruega Gro Brundtland.

“Desenvolvimento sustentável significa suprir as necessidades do presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprirem as próprias necessidades

Hoje as empresas já têm departamentos de sustentabilidade que são considerados estratégicos para seu crescimento.

Passado a primeira etapa a sustentabilidade segue tendências que mudaram a relação empresa com seu consumidor.

Entre as tendências crescentes está a transparência, onde o consumidor deve ter cada vez mais informação sobre o que está consumindo, de onde vem a matéria usada, se usa trabalho escravo, respeita o direito das crianças, ect.

Uma segunda tendência é a redução e reutilização da água como um bem precioso. Segundo o Banco Mundial existem no mundo 800 milhões de pessoas sem água potável. Esta mudança gera economia e inovação dentro dos processos produtivos. A fabricação de produtos concentrados já vem acontecendo, o que gera economia de água e de embalagem.

Mensurar, gerir e reportar emissões de carbono de efeito estufa através da publicação de relatórios de sustentabilidade é outra tendência, visto que muitos investidores analisam estes números antes de disponibilizarem seus recursos às empresas. No Brasil inventários públicos como Índice Bovespa de Sustentabilidade, Programa Brasileiro (GHG) Protocol da Fundação Getúlio Vargas já tem grande aceitação no mercado financeiro.

Menos é mais para o planeta, sendo tendência nas corporações a desmaterização, como um aumento da eficácia dos produtos, reutilização, reciclagem, automação, virtualização e criação de novos e melhores produtos. Estes produtos devem também seguir a química verde (uso produtos que não agridem o meio ambiente), utilizar matérias – primas sustentáveis e de forma eficiente, minimizando a geração de resíduos e consumo de energia em sua fabricação.

Para beneficiar quem respeita às questões de sustentabilidade, outra tendência é o pagamento por serviços ambientais, onde cada vez mais os produtos levarão em conta quanto custa para o planeta fornecer matéria-prima para fabricá-lo.

As duas últimas tendências crescentes são consumo de produtos orgânicos e o respeito à biodiversidade, dando às comunidades e as florestas o que pertence a elas, porque caminhamos para o crescimento do respeito ao planeta, as pessoas, as culturas e onde a sustentabilidade deve ser prioridade nas empresas.

Tania Kamienski é Jornalista Ambiental, Gestora de Sustentabilidade e colaboradora do newsletter da OPP MAIS ® – taniak_9@hotmail.com

Veja Também

Newsletter

Receba novidades e promoções do nosso site.