Facebook atualiza ferramentas de métricas.

Data de publicação: 24 de novembro de 2016

The loading screen of the Facebook application on a mobile phone is seen in this photo illustration taken in Lavigny May 16, 2012. Facebook Inc increased the size of its initial public offering by almost 25 percent, and could raise as much as $16 billion as strong investor demand for a share of the No.1 social network trumps debate about its long-term potential to make money. Facebook, founded eight years ago by Mark Zuckerberg in a Harvard dorm room, said on Wednesday it will add about 84 million shares to its IPO, floating about 421 million shares in an offering expected to be priced on Thursday. REUTERS/Valentin Flauraud (SWITZERLAND - Tags: BUSINESS SCIENCE TECHNOLOGY SOCIETY)

O objetivo é estabelecer maior confiança em relação aos dados e relatórios.

Na quarta-feira, 16, o Facebook admitiu ter descoberto mais problemas de mensuração que podem ter informado erroneamente o desempenho dos anunciantes na rede social. Em outubro, a plataforma havia declarado que a falha no alcance e engajamento das páginas foi provocada por bug que alterava o número de compartilhamentos, comentários e reações nas publicações. Agora, em um post em seu blog oficial, a empresa anunciou atualizações das métricas e algumas iniciativas com o objetivo de ampliar a troca de informações com anunciantes e publishers com o intuito de trazer mais clareza a respeito dos dados fornecidos pela rede social.

Dentre as principais atualizações está a maneira como é calculado o alcance das páginas. A visualização de anúncios pagos passará a ser contabilizada somente quando o post aparece na tela do usuário, o que deve resultar em um alcance 20% menor, de acordo com a rede social. Já o alcance orgânico, que devido ao bug duplicava a quantidade de visitantes será 33% e 55% mais baixos, nos períodos de análise de sete dias e de 28 dias, respectivamente.

Outros números inflados eram os do Instant Articles, mecanismo em que os usuários podem ler matérias na íntegra sem precisar acessar os respectivos sites. Segundo o Facebook, o cálculo não considerava o tempo de leitura divido pelo número total de visualizações, o que ocasionava um aumento de 7% a 8% no resultado final. A rede social garante que o problema já foi corrigido.

Trabalho mais colaborativo

Um exemplo da maior abertura de dados para o mercado é a ampliação das verificações de terceiros – dos parceiros comScore, Moat, Nielsen e Integral Ad Science (IAS) – para validar os relatórios disponibilizados para os parceiros. Marcas a publishers que solicitam medições independentes da quantidade de tempo de anúncios visualizados na tela também também verificar dados de impressão por meio da verificação dessas empresas parceiras.

Especificamente para anunciantes, o Facebook criou uma parceria com a Nielsen para incluir as audiências de vídeos e lives do Facebook no Digital Content Ratings (DCR), plataforma de análise e mensuração de audiências de conteúdo da Nielsen, para que dessa forma as marcas possam acessar a verificação de vídeos de terceiros, com métricas digitais e de TV comparáveis dentro do Total Audience Measurement da empresa.

Nas próximas semanas, a empresa deverá revelar mais detalhes sobre a abertura de um Conselho de Mensuração para aprofundar as discussões sobre melhores práticas de mensuração, uma espécie de desdobramento do que é o Conselho de Clientes Globais da plataforma, mas com foco nesse tema e abrindo mais espaço para ouvir feedbacks sobre o que funciona e o que pode ser melhorado.

Foi a partir de discussões com as marcas, aliás, que o Facebook realizou uma revisão interna para garantir que os produtos e métricas oferecidos permaneçam em constante atualização para atender às demandas de negócios dos anunciantes. Esse processo culminou da decisão de intensificar a comunicação a respeito de atualizações e na estreia do blog “Metrics FYI”, um canal que irá concentrar informações sobre métricas.

Fonte: meioemensagem.com.br


Veja Também

Newsletter

Receba novidades e promoções do nosso site.